Homem vende carro para conseguir sustentar animais abandonados

João Carlos não se arrepende das escolhas que fez na vida para ajudar seus amigos de rua.

Policial militar de 34 anos, da cidade de Patos, na Paraíba nunca escondeu que traz um grande amor por animais desde a infância. Desde muito pequeno ele já zelava pelos seis cães que a família possuía. Foi nesta época que nasceu o sonho de que, quando crescesse, pudesse cuidar de cães abandonados.

João Carlos vive em um lugar que chove pouco, e nem sempre a água está à disposição de todos. Sim, os bichos passam sede também e João Carlos se ressente bastante com isso.

A profissão de policial militar o faz ver coisas terríveis, inclusive nos maus tratos contra os animais. Conta que uma vez houve o caso de um homem que, por não poder ficar mais com o seu gato, colocou fogo no bicho. João fez de tudo para salvar o gatinho, mas ele morreu três dias depois. Após esta triste situação, João jurou que nunca mais deixaria nenhum animal das ruas sofrer enquanto ele próprio estivesse vivo.

No ano de 2007, cansado de ver tanto bicho abandonado e sofrendo na rua, João Carlos tomou uma decisão. Sua casa se tornou um abrigo para cães, já que o poder público não tomava nenhuma atitude. Em menos de um mês eram cerca de 52 animais, entre cães e gatos. Porém, o barulho era grande e a vizinhança começou a se incomodar. Por fim, depois de quatro abaixo-assinados para tirar João Carlos da sua casa, ele se deu por vencido. Conseguiu um espaço maior onde os animais ficaram mais bem acomodados. Para o policial militar foi um grande alívio.

Não demorou muito para João ficar conhecido como o “policial dos cachorros” e ganhar popularidade! Aproveitando-se disso, João passou a alertar as pessoas para que o chamassem quando soubessem de casos de abandono. As crianças eram mais receptivas, mas os adultos pareciam pouco se importar. Não foram poucas as vezes que ele foi chamado de doido!

As boas ações de João lhe cobraram um preço. Neste caso, bem alto. João ficou com o nome sujo na praça. Todos seus vencimentos de policial ia para os bichos. Viagens familiares e compras pessoais deixaram de existir. João se virava como podia. Para ajudar, ele bolou uma campanha de doação em escolas da região para conseguir ração.

No final de 2012, contudo, mesmo com toda a ajuda, João não conseguiu fechar as contas. Com a fila de credores cada vez maior, João apelou. Invadiu dois galpões vazios da prefeitura. A sorte é que o prefeito não criou caso e ainda passou a doar R$ 2 mil por mês. As dificuldades ainda assim permaneceram. Nos dias que o desespero batia, ele tinha vontade de largar todos os animais na rua por simplesmente se sentir sem condições de cuidá-los. Mas faltava coragem para tanto.

Em 2015 não houve jeito. As dívidas eram tão grandes com as casas de ração que nenhuma delas queria vender mais para João. Atolado em dívidas e sem saber o que fazer, João foi obrigado a tomar uma atitude drástica. Vender o carro, seu único bem de valor. Mas valeu a pena o sacrifício. Com os R$ 7 mil pagou as dívidas que o atormentavam e todos seus bichinhos ficaram de barriguinha cheia.

Sem condições de ter um carro, João se locomove com a moto da polícia. Na sua vida não há espaço para arrependimentos. Atualmente são 185 cachorros e 60 gatos. Os machos são castrados, mas nem todas as fêmeas puderam passar por esta cirurgia, já que a recuperação é mais complicada e exige maiores cuidados. Uma colega o ajuda nesta bonita empreitada, sendo somente os dois que cuidam de tudo. João conta que as pessoas optam por adotar filhotes ou animais de raça, motivo esse que sobram animais no abrigo.

Artigos Recomendados