Cuidadora se nega a sacrificar Pitbull.

Algumas vidas já começam com dificuldades e penduradas por um fio. No caso de animais doentes, a decisão é tomada rapidamente e colocar o bichinho para dormir é visto como a melhor decisão para acabar com o seu sofrimento. Porém, nem sempre é assim.

Sasha é uma cadelinha minúscula que chegou ao mundo com graves problemas de saúde. Porém, Marie DeMarco está convencida de que a pequena Pitbull ainda tem uma bela vida pela frente. 

A bebê nasceu no início de setembro do ano passado com uma anomalia. Ela tem uma fissura labiopalatal que a impede de se alimentar normalmente. Por isso, a cadela foi entregue à organização SNARR - Special Needs Animal Rescue & Rehabilitation (Reabilitação & Resgate de Animais com Necessidades Especiais, em tradução livre) - , que se encarregou de lhe oferecer os cuidados especiais. 

Como Sasha precisava de uma alimentação por meio de uma sonda, a diretora da SNARR contatou Marie. Como uma cuidadora de animais com experiência em cuidar de gatinhos recém-nascidos muito doentes, ela sabia que Marie era perfeita para Sasha. Marie logo começou a encher o Pitbull de amor. 

Infelizmente, Marie percebeu rapidamente que Sasha não tinha apenas uma fissura labiopalatal, como sua cabeça também era maior do que deveria ser. Depois de alguns exames, eles descobriram que a pequena Pitbull tinha hidrocefalia, um aumento patológico dos ventrículos cerebrais.

Para completar, Sasha ainda tinha uma doença respiratória e uma infecção do trato urinário, além de malformação do sistema músculoesquelético. Apesar dessas más notícias e de ter sido aconselhada várias vezes a colocar a cadela para dormir, Marie não desistiu da Pitbull. E Sasha também mostrou sua natureza lutadora.

"Ela demonstrava vontade e determinação incríveis", conta Marie. Para que Sasha pudesse ficar bem apesar de todos os problemas de saúde, ela tinha que ser alimentada a cada três ou quatro horas por dia, vestir um pequeno moletom para se manter aquecida e tomar medicamentos diários. 

Marie também se preocupava com o bem-estar psicológico de Sasha. "Eu a levantava e a abraçava. Quando eu a pego assim nos meus braços e a beijo, ela me lambe no nariz." Os gatos que recebem os cuidados de Marie também fazem companhia para a pequena Pitbull. É como se todos cuidassem da pobrezinha. 

Ainda que o futuro de Sasha ainda seja incerto, Marie se mantém fiel à sua decisão de não desistir da cadela. Em um comentário do Facebook que sugeria o sacrifício da cachorra, a cuidadora respondeu:

"A todos que acham que Sasha necessita de medidas especiais para se manter viva: vocês estão errados. Eu sou a cuidadora da Sasha e cuido dela desde seus primeiros dias. Sim, ela precisa ser alimentada o dia inteiro, mas fora isso só tomou antibióticos duas vezes e só toma um medicamento por dia. Sasha tem uma incrível vontade de viver e eu sempre irei apoiá-la. Como enfermeira no pronto-socorro, toda vida conta para mim - não apenas humanas. Frequentemente, abrigos de animais, veterinários ou postos de saúde decidem precocemente em sacrificar o animal, sem dar uma chance de sobrevivência para o filhote. Eu decidi cuidar de Sasha e penso que meu tempo e esforço certamente valem a pena."

Graças ao empenho de Marie, a pequena Sasha tem boas chances de levar uma vida feliz. Essas duas são um exemplo de determinação e luta. 

Artigos Recomendados